Hoje é um dia muito especial para mim. Em Marrocos, Marrakech, 7 de outubro de 2015, eu e a Direct One fomos aprovados no painel internacional da Endeavor. Entramos para a maior e mais respeitada rede de empreendedorismo de alto impacto do mundo.

Meu primeiro contato com a Endeavor foi no EIP — Endeavor Innovation Program, programa de inovação que foi finalizado na Universidade de Stanford e com visitas em empresas de tecnologia no Vale do Silício. Veja aqui um artigo que escrevi sobre o EIP.

O processo seletivo foi extenso e rigoroso. Levou praticamente um ano de entrevistas, mentorias, viagens, eventos, apresentações, indicações, feedbacks e networking para conseguir a aprovação. No 61o Endeavor ISP — International Selection Panel, a Direct One era a única empresa Brasileira, entre empresas de todo o mundo.

Na apresentação do evento, foi dito pela Linda Rottenberg, fundadora da Endeavor, que é mais fácil entrar na universidade de Harvard do que virar um empreendedor selecionado pela Endeavor. Anualmente, milhares de pessoas fazem parte do programa de escolha internacional, mas apenas 20 ou 30 conseguem chegar na etapa final e ser aprovado pelos painelistas da rede.

E as conversas nos ISPs são sempre de alto nível. Sempre Diretas. Os mentores e painelistas querem saber se você — e consequentemente a sua empresa, fazem parte do que a Endeavor chama de empreendedorismo de alto impacto: se o seu negócio pode crescer muito acima da média e se você pode construir um time campeão para chegar bem mais longe e ainda virar uma referência para os outros. Não adianta pensar pequeno. Tem que ter em mente o Give-Back: que é ser ajudado, mas com a cabeça de ajudar.

Entre os painelistas presentes estavam o Vice-presidente do Google, Mike Cassidy, responsável no GoogleX pelo Project Loon, estava também o CEO da AXA Seguros para o Egito, Hassan El-Shabrawishi, responsável por uma das regiões que mais cresce mundialmente de uma das maiores seguradoras do mundo, John Smith, partner do escritório da Bain & Company de Londres, especialista em estratégia, entre outros presidentes de bancos, CEOs de Varejo, etc.

Em nenhum lugar do mundo é fácil empreender. Muito menos no Brasil. Começar um negócio do zero é tomar um risco muito alto. A hipótese de dar errado e você perder tudo é alta, já que, de acordo com as estatísticas oficiais, por volta de 90% das empresas que abrem suas portas, as fecham em menos de 5 anos. Quando o empreendedor falha, ele perde, além do seu patrimônio, o próprio emprego e o de centenas ou até de milhares de pessoas. A responsabilidade é grande. As decisões muitas vezes são duras. Difíceis. Você tem que fazer escolhas. Ter foco. Precisa de ajuda.

A Endeavor existe exatamente para dar essa ajuda aos iniciantes que começaram a experimentar um rápido crescimento. De acordo com sua missão, a rede

“existe para multiplicar o número de empreendedores de alto crescimento e criar um ambiente de negócios melhor para o Brasil. Por isso, selecionamos e apoiamos os melhores empreendedores, compartilhamos suas histórias e aprendizados, e promovemos estudos para entender e direcionar o ecossistema empreendedor no país.”

Na Endeavor o que mais se ouve é o tal do “sonho grande”. Seguindo o pensamento de um dos seus conselheiros no Brasil, Jorge Paulo Lemann, “Pensar pequeno e pensar grande dá o mesmo trabalho. Mas pensar grande te liberta dos detalhes insignificantes.”

Outra coisa que na Endeavor levam muito a sério é a condução de negócios com ética, governança e transparência, tão importante num país cheio de percalços e maus exemplos como no Brasil. E todos sabemos da responsabilidade que é virar um exemplo para o bem. Os atalhos e o famoso “Jeitinho Brasileiro” podem fazer um efeito exatamente o contrário e piorar o nosso ambiente de negócios.

Empreendedores de alto impacto impulsionam o país. Pouco mais de 1% das empresas são de alto crescimento — crescem acima de 20% ao ano, porém, estas mesmas empresas criam quase 60% dos empregos no Brasil.

Eu sonhei grande. Para época, quando começava a me arriscar no mundo do empreendedorismo, me parecia algo inatingível entrar para a rede da Endeavor. Hoje isso virou uma realidade e me faz continuar pensando maior ainda. Pronto para a próxima fase.

Agradeço aos meus pais pela história empreendedora, pela educação necessária que me propuseram e pela inspiração para correr riscos com meu próprio negócio. Agradeço aos mentores, a equipe local da Endeavor Brasil — em especial ao Caio Jardim, pela dedicação e empenho no processo de aprovação.

Eu e a talentosa equipe da Direct One agora podemos contar com uma grande ajuda, com as mentes mais brilhantes do Brasil e do mundo para chegarmos muito mais longe.

Para conhecer a Endeavor, acesse: https://endeavor.org.br/institucional/rede-endeavor/

Leia seu manifesto: http://endeavor.uberflip.com/i/521880-2014-endeavor-brasil-impact-report/61?

Agora é botar pra fazer!

#VaiQueDá

Fernando Wosniak Steler
Fundador e CEO — Direct One

Marrakech, 7 de outubro de 2015

Founder & CEO — Direct.One